segunda-feira, 12 de abril de 2010

O RELATÓRIO DA VISITA DE ESTUDO

A VISITA DE ESTUDO É UM CAMINHO PARA ESTUDAR A LÍNGUA PORTUGUESA
A. Introdução
A língua Portuguesa é uma língua de origem latina. Por isso, existem muitas regras relativamente a esta língua. Nós temos a peciência de aprender uma língua como a língua Portuguesa. Timor Leste é a nação mais nova desta dêcada. Mesmo assim, já tinha decidido utilizar a língua Portuguesa como língua nacional para além da língua tétum. Temis vários canais para aprender esta língua. Além de a seguir nas aulas normais, as visitas de estudo também uma parte importante que nos permite dominar esta língua. Por isso, a nossa aula, tanto do nível básico como do nível avancada, decidiu para sair da sala de aula e visitar alguns lugares importantes relacionados com a cultura e a história de uma nação, sobretudo de cidade de Braga.
Na quinta-feira, dia 11 de Março de 2010, visitámos três lugares importantes na época dos romanos que se situam no centro da cidade de Braga. Esta visita de estudo foi dirigido pelos quatros professores das turmas diferentes. Os quatros professores são Dra. Vanda, Dr. Barroso, Dr. Daniel e Dr. Ricardo. Os estudantes encontram-se no centro da cidade de Braga antes se dirigem ao local. Às 14h30, nós encontramo-nos juntos no centro da cidade de Braga. Depois disso, fomos ao primeiro lugar cujo edifício fica no centro da cidade.
Este visita de estudo centrou-se três locais importantes, nomeadamente a Fonte do Ídolo, Domus da escola velha da sé/núcleo museológica, Alta da cividade. A primeira visita foi realizada num monumento romano chamado Fonte do Ídolo.
B. Os Lugares Importantes
1. A Fonte do Ídolo

A fonte do ídolo é um monumento que se situa perto do hospital de São Marcos de Braga. Nós chegámos à fonte do ídolo às 14h45. A primeira actividade dentro do monumento é ver um film sobre a história da fonte do ídolo. Depois de acabarmos de ver o filme, a guia deste local explicou-nos o funcionamento e várias coisas relativamente à fonte do ídolo. A guia do monumento deu-nos uma explicação sobre a fonte do ídolo onde mostrou que a fonte do ídolo é um monumento romano que consiste numa fonte de água com inscrições e figuras esculpidas num afloramento natural de granito. Ainda sobre este monumento, falou-nos sobre a origem do nome de Braga. O nome de Braga era Brácara Augusta. Brácara Augusta significa que uma cidade onde se situa no norte de Portugal. Esta cidade foi fundada por Augusto cerca de 16 a.C. Brácara Augusta era uma cidade ocupada anteriormente por poros autóctones.
Naquela ocasião, recebemos também a explicação que mostrou-nos a fonte do ídolo era um santuário dedicado a um Deus local de Brácara Augusta. Este Deus chama-se Tangoenabiago. O Deus Tangoenabiago era um Deus da fonte do juramento para o paro castrejo da Galécia que era já conhecido no norte de Portugal e na Galiza.
Na realidade, na primeira visita do estudo, muitas informações foram oferecidas pelo responsável deste local, mas, na realidade, poucas informações foram captadas porque naquele momento há muito barulho e também o voz do responsável era muito baixa.
Desta visita de estudo acabou por tirar algumas fotografias e conversámos um pouco entre nós e também nós com o responsável deste local por motivo de algumas informações que não estavam esclarecidas. Deixámos este local mais menos às 15h19 e andámos juntos ao outro local.

2. Domus da Escola Velha da Sé/Núcleo museológico




A segunda visita de estudo foi realizada num local muito interessante. Este local chama-se domus da escola velha da sé ou seja, núcleo museológico. Existe uma coisa basta diferente do primeiro local: é este local funciona como junta Freguesia da Sé. Chegámos ao local às 15h27.
A primeira actividade no segundo local foi ouvir as explicações sobre o funcionamento deste museu através do computador. Acabámos de ouvir as explicações for algumas palavras do responsável deste local e também pudemos ver algumas pedras romanos que existem dentro deste edifício.
Este local tem as regras que não permitem aos alunos tirar fotografias sem conhecimento do responsável deste local. Antes de deixarmos este local, o responsável explicou-nos que o Domus da escola velha da sé, ou seja, o núcleo museológico é um local que representa um dos momentos dos romanos em Braga. Foi construído no século I d.C. Em geral, o núcleo museológico é um local da época dos romanos que pretende dar a conhecer as técnicas e instrumentos associados à execução de mosaicos no período romano.
Durante a visita a este local, nós recebemos muitas informações relativamente à época dos romanos enquanto ocuparam Portugal, sobretudo Braga. Deixámos este local cerca das 16h30 e fomos directamente ao outro local.

3. Alto da Cividade/As Termas



A última visita de estudo foi realizada num local chamado alto da cividade, ou seja, as termas. A entrada foi-nos oferecida uma explicações sobre o funcionamento deste local e também as regras como é que podemos espalhar num local. O responsável também nos explicou a história do descobrimento do alto da cividade.
O alto da cividade foi descoberto em 1977 aquando da realização no local das primeiras escavações. O alto da cividade foi classificada como monumento nacional.
Esta visita permitiu-nos conhecer a história do monumento do alto da cividade. Este monumento situa-se no ponto mais alto da cidade. Isto justifica que este monumento era um espaço de palestra e também, um lugar onde os romanos podiam practicar os exercícios físicos, passear e conversar. Baseando-se no estudo modelo do monumento, os arqueólogos concluíram que este monumento foi utilizado como um teatro da cidade romano.
Acabámos esta visita de estudo a tirar algumas fotografias e, também, a ver as coisas interessantes relativamente a este local.
E, concluímos toda a visita de estudo às 17h00 e deixámos o local da visita de estudo e regressámos à residência.
C. Conclusão
Chegámos à conclusão sobre visita de estudo. A actividade da visita de estudo mostrou-me a importância de relação entre as visitas de estudo e estudar uma língua como a língua Portuguesa. Na realidade, esta oportunidade deu-nos tempo para conversar entre nós, e também, com alguma pessoa que encontrámos enquanto estávamos no local. Gostaria de dizer que aquilo que aprendemos durante a visita de estudo, na realidade, afecta o desenvolvimento dos pensamentos relativamente aos domínios da língua Portuguesa. A visita de estudo também nos deu oportunidade para conhecer melhor a história de uma nação, isto é, conhecer melhor os povos desta nação.

Teodoro Soares

Aluno do ILCH

terça-feira, 5 de janeiro de 2010

ADEUS 2009! BEM-VINDO 2010!

Este poema é um fado do autor sobre mudança do ano onde ano 2009 vai acabar e vamos entrar no ano de 2010. Um poema onde ilustrar uma sentimento humana sobre todas coisas que já tinham acontecido no ano de 2009. Há alguns que resultaram algumas vantagens para nós mas por outro lado este ano dava algumas coisas que não estavam bem para nós. Provavelmente, esse poema mostra-nos aquilo que já tinha passado na nossa vida durante ano 2009. Vamos ler….
Adeus 2009
Passou com as suas maravilhas
Passou com as suas tristezas
Deixou tudo atrás.

Bem-vindo 2010
Contigo viveremos bem
Contigo pensaremos melhor
Contigo será óptimo

Abraços 2010
Seja bem-vindo
Adeus 2009! Adeus…Adeus…Adeus

SAUDADES

Por esta ocasião, vou oferecer-vos um poema que já tinha feito durante aula da língua portuguesa. Este poema mostra-se uma saudade do escritor. Por causa de longa da família e já muito tempo ainda não juntar com família, por isso o escritor tem muitas saudades para todas famílias. Para quem que longa também da família, este poema é representa a vossa saudade para a sua família.

SAUDADES
Ó terra natal
Minha terra tão querida
Eu gostava de estar lá
Ao lado da minha querida
Agora estou muito longe de ti
Ó minha terra natal
Falta-me as tuas palmeiras
As tuas quentes areias
Ao lado do mar onde costumávamos passear e brincar
Ao por do sol
Ó terra natal
Quando estou longe de ti
Fico sempre com saudades

Teodoro Soares
15 de Dezembro de 2009

segunda-feira, 13 de julho de 2009

ANDO A ESTUDAR TECNOLOGIA MULTIMEDIA COM PROFESSORA DOUTORA MARIA JOÃO GOMES (UM REFLEXÃO PESSOAL DURANTE FREQUENTAVA AULA DE MULTIMEDIA

Quando começava a aula multimédia no dia 27 de Maio de 2009, eu estava pensar, como é estudar a tecnologia e multimédia? E quais grandes vantagens a estudar a tecnologia e multimédia na minha vida? Primeiro aula foi iniciado com apresentação das pessoais de cada um dos alunos e importante a professora convoca um discussão sobre os objectivos que podemos atingir durante desta aula. Eu estava confuso, porque não habitua na minha vida, uma professora convoca discussão na sala de aula sobre os objectivos que podemos atingir durante aula. Mas este realidade aumentou o meu pensamento sobre utilização o portfolio na sala de aula.
Aula foi correr bem porque a maioria dos estudantes são Portugueses que claramente já conhecem bem sobre Tecnologia e Multimédia só nós Timorenses não conhecemos o desenvolvimento a Tecnologia e Multimédia. Antigamente, nós não tínhamos portátil e também computador pessoal (PC) em casa. Depois de chegamos aqui, vamos comprar em feira nova.
Segunda aula foi explicado pela professora sobre Moodle e diversos atributos que relacionados com moodle. Criamos moodle de um dos alunos que tirar o curso a Tecnologia e Multimédia. Eu estava contente com este programa porque muito interessante. Utilização moodle como um instrumento que suporta processo ensino aprendizagem nas escolas em Portugal já tantos anos e eu queria para implementar este programa nas escolas em Timor Leste sobretudo Díli como capital de Timor Leste. Mas infelizmente difícil porque lã Timor Leste a maioria das escolas não têm equipamentos sobretudo os computador e também rede de internet não é comum mas só para lugar importante.
Depois de conheci o programa moodle, a seguir, vamos estudar também como é criar um Photo Story 3 com objectivo para nós podemos agrupar todas fotografias dentro de photo Stoty 3 e eu já apliquei este programa no dia-a-dia. Depois de estudar o programa Photo Story 3, andamos a estudar sobre como elaborar um Blogue e no fim eu podia criar um blogue com Titulo: FACULDADE DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO DE TIMOR LESTE com endereço do blogue é:
http://fcetimorleste.blogspot.com/.
Terminamos a estudar sobre blogue, continuamos a estudar sobre Ferramenta Zamzar, Site Slideshare e também um programa muito interessante é Stripcreator. Claro que, os programas como Ferramenta Zamzar e Slideshare são fácil para mim mas o programa Stripcreator é difícil para mim no assunto de copiar e guardar deste programa. Programa Ferramenta Zamzar ajuda-me para guardar os meus documentos dentro de PDF e também o programa Slideshare ajuda-me para guardar os meus documentos dentro de internet. Eu já guardei alguns documentos na net.
A aula seguir, estudamos sobre como guardar a filmagem dentro de Youtube e também estudamos sobre como copiar uma filmagem através de Youtube. Claro que esta aula têm grande vantagem para mim porque depois desta aula, eu já guardava algumas filmagens dentro do Youtube e também tirava algumas filmagens dentro do Youtube. Claramente, todas capacidades que tinha aprender através desta aula, posso utilizar máximo quando chegarei ao Timor Leste. Todos os programas que tinha aprender, eu posso dizer que eu gosto e interesso muito no programa Moodle. Eu quereria para desenvolver a minha capacidade própria relacionado com programa moodle. Porque, eu penso que este programa muito importante para ajuda-nos desenvolver processos ensino aprendizagem nas escolas em Timor Leste e sobretudo Díli como capital de Timor Leste. Se calhar professora tem tempo, eu quereria perguntar algumas coisas relacionadas com desenvolvimento programa Moodle. Todo isto, posso resumir que, durante aula Tecnologia e Multimédia, da-me uma oportunidade para aprender sobre desenvolvimento tecnologia e multimédia. Eu nunca tinha aprender na minha vida durante estava em Timor Leste mas hoje em dia, eu posso dizer que, já conhecera algumas coisas relacionadas com desenvolvimento Tecnologia e Multimédia. Muito obrigado pela ajuda e atenção da Professora que me deu durante este semestre.
Teodoro Soares

quinta-feira, 9 de julho de 2009

O QUE É PORTFOLIO E AS SUAS POTENCIALIDADES RELACIONADO COM AVALIAÇÃO


Portfolio nasceu por causes não há satisfação sobre avaliação no ensino tradicional. As práticas tradicional caracterizadas com privilegiaram a informação, ignoraram o conhecimento e não deram lugar à reflexão sobre o processo da construção do saber (Coelho e Campos, 2003). No inicio do século XX, o John Dewey definiu aprendizagem como um processo activo. Aprendizagem como um processo activo implica a mudança no sujeito que aprende, determinada experiência e aprendizagem deve umas mudanças verificada em resultado de uma experiência. Na prática ensino tradicional, o professor é centro de todos processos na sala de aula e o sucesso dependente a capacidade dos alunos aprendem e estudam durante período tempo. Esta prática está trocar com prática ensino de mudanças. Prática ensino de mudanças desenvolvida baseada nos conceitos tal como conceito ensina descoberta, teoria de construtivista, teoria de Piagetiana, teoria de Vygotsky e outras teorias que supõem a desenvolvimento prático do ensino activo. Para desenvolver os instrumentos avaliações que efectiva relacionado com prático do ensino activo, portfolio é um conceito melhor para implementados estes avaliações no processo do ensino aprendizagem.
Segundo Valadares & Graça (1998) “portfolio é uma colecção organizada e devidamente planeada de trabalhos produzidos por este ao longo de um determinado período do tempo, de forma a poder proporcionar uma visão tão alargado e detalhada quanto possível das diferentes componentes do seu desenvolvimento (cognitiva, metacognitiva, afectiva).” Entretanto, “o portfolio na sala de aula é um instrumento de regulação e avaliação, ligado às novas práticas pedagógicas, que visa desenvolver competências, o que implica a autonomia do aluno na relação com o saber” (Coelho & Campos, 2003: 18).
Também segundo os mesmos autores, há aspectos relevantes do conteúdo do portfolio, tal como:
O conteúdo deve:
- Abranger todas as áreas do programa;
- Ser diversificado (escrito, oral, visual, tridimensional);
- Exibir processos e produtos;
- Envolver os alunos no processo de revisão, análise, reflexão e selecção.
A selecção deve basear-se em evidência:
- relacionada com os critérios ou objectivos;
- que revela o progresso conseguido ao longo do tempo;
- que mostre aprendizagens relevantes;
- que revela dificuldades de aprendizagem;
- considerada importante pelos alunos.
As vantagens de utilização o portfolio como instrumento de avaliação no ensino de mudanças na sala de aula, nomeadamente (Coelho e Campos, 2003: 30):
· Monitoriza a aprendizagem;
· Estimula o pensamento reflexão;
· Permite ao aluno avaliar as suas capacidades;
· Implica o aluno na concepção e desenvolvimento de um trabalho de projecto;
· Estimula o gosto pela aprendizagem;
· Promove uma boa relação professor - aluno;
· Proporciona a tomada de consciência das estratégias que utiliza.
Estes autores também apresentam os tipos de portfolio, seguidamente:
1. O portfolio de aprendizagem é uma colecção de trabalhos em vias de elaboração o já concluídos;
2. O portfolio de apresentação é uma colecção dos melhores trabalhos do aluno, aqui apresentados como produto ou resultado;
3. O portfolio de avaliação é uma colecção de trabalhos realizados, tendo em vista a avaliação.
Enquanto sobre escala que em geral utiliza na avaliação com portfolio, Valadares e Graça (1998) sugerem alguns níveis de avaliar portfolios, nomeadamente:
1. Nível 4 – Portfolio bastante criativo. Inclui uma variedade grande de trabalhos escritos e gráficos (individuais e grupo), projectos, investigações, fotografias, entrevistas ou filmes. Há evidências de que o aluno tem muitos recursos. É claro e revelador de um poder de comunicação excelente.
2. Nível 3 – Portfolio que indica um trabalho sólido na disciplina. Há muitos trabalhos com bom nível. O aluno é capaz de explicar razoavelmente bem os seus raciocínios e estratégias.
3. Nível 2 – Indica um conhecimento médio da disciplina. Há poucas evidências de pensamentos originais. Os trabalhos de projectos são praticamente inexistentes.
4. Nível 1 – Inclui quase todo o trabalho não criativo e consiste praticamente em trabalhos copiados do manual.
Depois de ver os níveis de avaliação dos portfolios, a seguir vamos ver também sobre qual é passo ao passo para elaboração um portfolio básico como instrumento de avaliação no nosso processo do ensino aprendizagem. Passo ao passo do elaboração de um portfolio, (Shores & Grace, 2008) apresentam dez passos para elaboração de um portfolio, tal como:
1. Estabelecer uma política para o portfólio;
2. Colectar amostras de trabalhos;
3. Tirar fotografias;
4. Conduzir consultas nos diários de aprendizagem;
5. Conduzir entrevistas;
6. Realizar registos sistemáticos
7. Realizar registo de casos;
8. Preparar relatórios narrativos;
9. Conduzir reuniões de análises de portfolios em três vias;
10. Usar portfolios em situação de transição.
Baseia-se as informações em cima mencionado, posso dizer que através deste unidade curricular (Educação Tecnologia e Multimédia) já aprendi tantas coisas relacionado com desenvolvimento a minha própria relacionado com tecnologia sobretudo os conceitos de net, blogue, moodle, slidshow, youtube, fotostory e também compreendi sobre conceito de portfólio. Desenvolvimento de blogue é uma maneira de implementação do portfolio no processo ensino aprendizagem que tinha acontecido durante um período. Eu penso que muito importante quando um professor utiliza portfolio na sua avaliação processo prático do ensino. Os professores devem utilizar portfólio para avaliar todos processos que tinham acontecer durante implemente processo ensino aprendizagem na sala de aula. Eu acho que, chega tempo agora para utilizar portfólio como instrumento de avaliação na sala de aula. Eu vou utilizar quando estarei em Timor Leste.
Referências:
Coelho, C.& Campos, J.(2003). Como abordar o portfolio na sala de aula. Porto: Porto editores.
Shores, E. & Grace, C.(2008). Manual portfólio um guia passo a passo para o professor. São Paulo: artmed editográfica.
Valadares, J. & Graça, M.(1998). Avaliando para melhorar a aprendizagem. Lisboa: Plátano Edições Técnicas
Para obter mais informações, vamos acessar este sites em baixo:
1. Wikipédia, a enciclopédia livre
http://pt.wikipedia.org/wiki/Portf%C3%B3lio
2. Avaliação por portfólio em Tecnologia Educativa
http://www.eseb.ipbeja.pt/kinderet/Documentos/Avalia%C3%A7%C3%A3odocfinal.pdf
3. EDUCATIONAL POTENTIAL OF E‑PORTFOLIOS FROM STUDENT LEARNING TO TEACHER PROFESSIONAL DEVELOPMENT.
https://repositorium.sdum.uminho.pt/bitstream/1822/8622/1/Chapter1MariaJo%c3%a3o2008-nome.pdf
4. E-portfolio Use at Higher Education Institutions: Potential problems for Pedagogy.
http://www.formatex.org/micte2009/book/1312-1315.pdf
5. Como organizar Portefólios na sala de aula de Matemática?
http://repositorium.sdum.uminho.pt/bitstream/1822/7665/1/Comunica1-%20ana_paula_M_Joao%20%282%29.pdf
6. E-PORTEFÓLIOS: UM ESTUDO DE CASO NO ENSINO DA MATEMÁTICA
http://eportefolio.ese.ipsantarem.pt/eportefolio/images/stories/materiais/artigos/doc3.pdf.
7. Desenvolvimento de portefólios electrónicos no ensino da Matemática
https://repositorium.sdum.uminho.pt/bitstream/1822/7662/1/Comunica2-ana_paula_M_Joao%20(2).pdf
8. O Uso do Google Pages como Portefólio Digital
http://prisma.cetac.up.pt/141_Uso_Google_Pages_como_Portefolio_Digital_Joao_Bottentuit_Junior_e_Clara_Coutinho.pdf

quarta-feira, 8 de julho de 2009

O QUE É BLOGUE E A SUA POTENCIALIDADES EDUCATIVAS


Hoje em dia, o mundo anda a desenvolvimento tecnologia e informática Desenvolvimento tecnologia e informática são uma características de um nação que categorizada nação mais avançados. Uma nação mais avançada, as populações obtém muitas oportunidades para utilizar os resultados dos desenvolvimentos tecnologia e informática. Agora, quem quer falar com outra pessoa no outro mundo, não é um problema, porque existência das tecnologias e informáticas poderão ajudar para resolver este assunto.
Um dos desenvolvimentos tecnologias e informáticas é internet. Internet pode ajudar-nos para merecer perto por outras pessoas no outro mundo. Internet pode ajudar-nos para ligar e conectar outro lugar em mundo. Claro que, existência a internet ajuda muitos desenvolvimentos mundo. Um programa importante da internet é programa blogue. Gaspar (2002) apresenta uma definição sobre um blogue é uma página web de actualização frequente onde é possível inserir diversos conteúdos, que são apresentados numa ordem cronológica inversa, ou seja, os mais recentes surgem no topo de página, enquanto os mais antigos eventualmente desaparecem da página principal e são “arquivos.” Por outra parte Aguades & Baltazar (2005) apresentam definições sobre um blogue é uma página Web onde se registam outras páginas que o autor considera interessantes. Os primeiros blogues surgiram em 1997 com conceito “Scripting new” de Dave Winer e o “Robot Wisdom” de Jorn Borger. É talvez o Jorn Borger reconhecido como uma pessoa que criou o blogue. Baseia-se estes conceitos mencionado em cima, em 1999 começam a ser publicadas algumas compilações de links de blogue.
O blogue tem várias potencialidades da utilização pelos humanos. Um deles é potencialidade na área de pedagógicas. Antes disso, vamos olhar as vantagens da utilização de um blogue. Orihuela & Santos (citado por Carvalho, et at, 2006) apresentam três vantagens da utilização do blogue são:
1. A criação e os agrupamentos das ferramentas de publicação são mais fácil;
2. O blogue permite ao usuários centrar-se no conteúdo do desenvolvimento de um blogue
3. Os usuários disponibilizam para apresentar funcionalidades de um blogue com comentários, arquivos, fotos, filmagens e outros documentos importantes.

E depois vamos olhar diversos autores que apresentam diversos potencialidade pedagógicas que relacionado com utilização de um blogue:
1. O blogue pode ajudar os alunos e os professores a comunicar mais e melhor (Barbara & Granada, 2004);
2. Publicar um espaço visível por todos (Salleh, 2005);
3. A partilha de texto é uma porta aberta para a troca de experiencias com outros escolas (Barbara & Granada, 2004);
4. Criar uma comunidade de aprendizagem com um tema que interesse a todos os membros;
5. Possibilitar a intervenções e o dialogo com mais pessoas;
6. A divulgação de projectos escolares o organização de um trabalho de investigação e registo trabalho de campo.
Por outro lado, Gomes (2005) apresenta as potencialidades um blogue como “recurso pedagógico” e “estratégia pedagógico.” Um blogue como “recurso pedagógico” podem ser:
1. Um espaço de acesso a informação especializada.
2. Um espaço de disponibilização de informação por parte do professor
Enquanto um blogue como “estratégia pedagógica” podem assumir a forma de:
1. Um portfolio digital
2. Um espaço de intercambio e colaboração
3. Um espaço de debate – role playing.
4. Um espaço de integração.
Na utilização o blogue como meios de aprendizagem deve ter características. Efimova & Fieldler (2004) apresentam as características nas aprendizagens das comunidades de blogues. As características são:
1. Aprendizagens acontecem a partir de múltiplas perspectivas, graças aos vários contributos;
2. Aprendizagens poderão ser induzidos por grupo organizados, mais académicos e por grupo não organizados;
3. Aprendizagens recebem novas perspectivas a partir da leitura regular de blogue com qualidade;
4. Aprendizagens promovem uma reflexão sobre a própria aprendizagem.
Enquanto de características do blogue como meios de aprendizagem, na utilização o blogue como instrumentos de aprendizagens têm vários tipologias de um blogue. As tipologias de blogue são:
1. Os blogues de professores
Os professores utilizam o blogue:
- como um tipo de diário;
- Um local onde disponibilizam informações sobre as aulas, os programas, as matérias dadas, os resumos das aulas, as bibliografias, etc;
- Um espaço para forma de se organizar as matérias leccionada.
2. Os blogues de alunos
Os alunos utilizam o blogue:
- Serem avaliados de uma disciplina;
- Como apontadores com links para artigos, blogues, sites, estudos que interessantes, uma forma organização e locas onde encontrar com colegas.
- um espaço no ambiente trabalho grupo e também trabalho individual.
3. Os blogues de disciplinas
Criação destes blogues com objectivos principal é dar continuidade ao espaço de sala de aula mas de forma colectiva que obriga todos membros participaram no neste espaço do blogue.
Baseia-se estas informações em cima, posso concluir que um blogue tem muitas potencialidades para os usuários sobretudo para os professores e os alunos. Os professores podem utilizar o blogue para desenvolver as matérias nas aulas, disponibilizam as informações que relacionado os conteúdos das matérias na sala de aula para os alunos. No contexto a minha formação no tempo passado. Quando era frequentar curso licenciatura em Indonésio, nunca aprendi sobre o blogue e também nunca conheci o que é blogue. Porque em Indonésia, a internet menos desenvolvido e os alunos não tinham oportunidades para obter mais sobre informação através de internet. Hoje em dia, eu como professor já conheci sobre o que é blogue e porque utiliza um blogue e como utiliza um blogue e também qual é as potencialidades de utilização do blogue relacionado com a educação. Hoje em Timor Leste, a internet não disponibiliza para ao comum mais espero que no futuro, o governo vai desenvolver este espaço para dar oportunidade aos comuns sobretudo os alunos e os professores, tanto ensino básico ate ensino superior para utilizam a internet no desenvolvimento vida académica própria deles. Através este unidade curricular, Educação Tecnologia e Multimédia, eu já aprendi muitas coisas relacionado com desenvolvimento um blogue como espaço do ensino aprendizagem e também como espaço do portfolio da avaliação dos alunos e também dos professores. No futuro, posso aprender mais sobre desenvolvimento este blogue para quando estou em Timor Leste, posso utilizar para suportar o meu ensino aprendizagem na sala de aula em Díli – Timor Leste. Este artigo desenvolvido baseado artigos que mencionados em baixo:
1. BLOGUE: UMA FERRAMENTA COM POTENCIALIDADES PEDAGÓGICAS EM DIFERENTES NÍVEIS DE ENSINO
Ana Amélia A. Carvalho, Adelia Moura, Luis Pereira, Sónia Cruz, 2006
Anna Salleh, 2005
http://www.abc.net.au/science/news/stories/s1450106.htm
3. LEARNING WEBS: LEARNING IN WEBLOG NETWORKS
4. Blogs: um recurso e uma estratégia pedagógica
Maria João Gomes, 2005

segunda-feira, 6 de julho de 2009

O MOODLE E A SUA POTENCIALIDADES NA MINHA FORMAÇÃO



Hoje em dia, há tantas pessoas falam sobre Educação a distância. Educação a distância é a modalidade de ensino que permite que a aprendizagem não esteja fisicamente presente em um ambiente formal de ensino aprendizagem na sala de aula. Principalmente, Educação a distância ajudado pela tecnologia de Moodle. Moodle (moduler object – oriented dynamic learning environment) é um software livre que podemos utilizar para apoio processo ensino aprendizagem na sala de aula especialmente aula de Educação a distância. Moodle foi criado pelo Martin Daugiamas em 2001. Ele é educador e também professor em Perth, Australia. Baseia-se teoria de construtivíssimo, ele foi criado um programa chama-se moodle para ajudar processo ensino aprendizagem na sala de aula. Os cursos de moodle podem ser configurados em três formatos são;
• Formato Social – em que o tema é articulado em torno de um fórum publicado na página principal;
• Formato Semanal - no qual o curso é organizado em semanas, com datas de início e fim;
• Formato em Tópicos - onde cada assunto a ser discutido representa um tópico, sem limite de tempo pré-definido.
Os recursos disponíveis para o desenvolvimento das actividades são:
• Materiais
• Avaliação do Curso
• Chat
• Diálogo
• Diário
• Fórum
• Glossário
• Lição
• Pesquisa de Opinião
• Questionário
• SCORM
• Tarefa
• Trabalho com Revisão
• Wiki
Os principais características são
• Fóruns
• Gestão de conteúdos (Recursos)
• Questionários e pesquisas com diversos formatos
• Blogs
• Wikis
• Geração e gestão de Base de Dados
• Sondagens
• Chat
• Glossários
• Peer assessment
• Suporte multi-idioma (mais de sessenta idiomas são suportados pelo interface actual).
Baseia-se estas informações em cima, posso dizer que durante a minha aula da educação e tecnologia, ajuda-me para compreender bem sobre o que é moodle e como é utilizamos este programa. Eu já aprendi tantas coisas que relacionado com o desenvolvimento este programa para suporta o meu processo aprendizagem no futuro nomeadamente como professor de Física nas escolas Secundarias em Díli Timor – Leste. Os programas que tinha aprendido através deste unidade de curricular que relacionado com moodle são utilização glossário, elaboração questionário, envio os ficheiros, trabalho de casa, inserir etiqueta, escrever pagina de texto, escrever pagina Web, apontador para ficheiro, mostra um directora e etc. Durante deste unidade curricular, aprendi muitas coisas que muito interessante. Realmente, posso dizer que muito interessante esta programa porque muitos vantagens do desenvolvimento ensino aprendizagem. Eu não sei, quando chegarei em Timor Leste, deste programa posso utilizar nas escolas em Timor Leste ou não. Se calhar esta programa posso utilizar em Timor Leste, então este programa pode ajudar-me para desenvolver o meu ensino aprendizagem na sala de aula.
Desenvolvimento este texto baseia-se as informações nos sites em cima:
1. http://pt.wikipedia.org/wiki/Moodle
2. http://www.inf.pucrs.br/~petinf/homePage/publicacoes/documentos/relatorios%20tecnico/Daiane.Fraga_2008-1.pdf
3. http://en.wikipedia.org/wiki/Moodle

O QUE É INTERNET E QUAL É POTENCIALIDADES?



A internet é um conjunto de redes em escala mundial de milhões de computadores interligados com TCP/IP que permite o acesso a informações e transferências qualquer tipos de dados para pessoas a pessoas no mundo, (Wikipédia, a enciclopédia livre, 2009). Palavra internet refere-se a diferente, portanto internet é conjunto com redes diferente entre alguns computadores.




O uso o termo “internet” para descrever uma única rede TCP/IP global se originou em Dezembro de 1974, com publicação do RFC 685, a primeira especificação completa do TCP, que foi escrita por Vinton Cerf, Yogen Dalal e Carls Sunshine na Universidade de Stanford. Durante os nove anos seguintes, o trabalho prosseguiu refinando os protocolos e os implementando numa grande variedade de sistemas operacionais. Complementação de navegação dos sistemas de internet foi feito em 6 de Agosto de 1991 pela CERN, uma organização Pan Europeia de pesquisa de partículas que publicou o novo projecto “World Wide Web” e foi inventada pelo Tim Berners-Lee em 1989. Para activar o internet, preciso de conexão. Há vários tipos de conexão, nomeadamente: dial-up, banda large, WI-FI, Satélites e telefones celulares com tecnologia 3G. O internet também oferece vários serviços aos usuários, tal como:
1. Correio electrónico
2. World wide Web
3. Acesso remoto
4. Colaboração
5. Compartilhando de arquivos
6. Transmissão de média
7. Telefonia na internet (voz sobre IP)
Na utilização o internet também há impacto social tal como:
1. Internet para suporta as organizações políticos e a censura;
2. Desenvolvimento a informações sobre a educação;
3. Fonte de lazer;
4. Vantagem na suporta do comércio e da publicidade;
5. Outros impactos da utilização.
O crime na internet, habitualmente relacionado com pedofilia, difamação, crime bancário e financeiros praticados na internet, vírus para os computadores a outros crimes.
Baseia-se este informações em cima sobre o internet, posso dizer que na minha vida durante ficava em Timor Leste nunca aprendi sobre o internet. Porque, em Timor Leste, o Governo não oferece oportunidade aos cidadãos para utilizam o internet tanto em casa, tanto em escola e outro lugar publico que importante. Há alguns empresários nacionais que construir um rede local mas o custo demasiado carro. Portanto não muita pessoa incluindo eu, aprendem sobre a internet. Depois de estudo em Universidade do Minho e especialmente tiro este cadeira (Educação Tecnologia) permite-me tantas coisas para aprender melhor sobre a internet na minha vida. Esta aula (Educação Technologia) ofereceu-me e explicou-me sobre conceito de internet sobretudo Moodle, Blogue e outra coisa que importante que relacionado com internet. Eu acho que no futuro, quando o Timor Leste vai desenvolvido, Eu posso aplica-la em Timor Leste.
Este texto desenvolveu com base texto no site:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Internet

sábado, 4 de julho de 2009



ESTAS FOTOGRAFIAS FORAM TIRADO NO DIA 4 DE JULHO DE 2009 EM CASA DO SR. TONY LAVANDER, O NOSSO COORDINADOR DO PROJECTO DE MESTRADO EM BRAGA NOMEADAMENTE UNIVERSIDADE DO MINHO.

VIDEO PRIVADO

é
Este video é um alicação deste Unidade do Curricular.

Timor-Leste - Youth Development Project

The objectives for Youth Development Project (YDP) in the Timor-Leste is to promote youth empowerment and inclusion in development by expanding the capacities of and opportunities for youth groups to initiate and participate in community and local development initiatives. Youth played a seminal role in the violence that erupted in 2006 and which saw hundreds of thousands displaced, property worth thousands of dollars destroyed, hundreds injured, and dozens killed. In the absence of a concerted effort to provide opportunities for youth to engage meaningfully with communities and government in national recovery and development efforts, the risk of youth marginalization from development and civic life will persist. The project will support the Government's efforts to address the social, economic and political factors that led to the involvement of youth in the crisis of 2006 and in the ongoing manifestations of social instability since then. There are two components to the project. The first component is the operationalizing the national youth policy. The second component is the youth for local development. The completed text in: http://www-wds.worldbank.org/external/default/WDSContentServer/WDSP/IB/2008/06/13/000333037_20080613013932/Rendered/PDF/435470PJPR0P1012001101OFF0USE0ONLY1.pdf

Timor-Leste - Education since independence from reconstruction to sustainable improvement

Before Timor-Leste regained its independence on May 20, 2002, the transitional administration consulted with the East Timorese people on their aspirations for the future. Seven out of ten people cited education as their top national priority. The first National Development Plan made education a cornerstone of its strategy to alleviate poverty and facilitate economic growth. This sector study on education is a response to the aspirations of the people of East Timor and to its government's priorities. The study provides analytical support for medium-term policy options to expand coverage, raise internal efficiency and student achievement, and improve sectoral and expenditure management. At the most fundamental level, the government's target is to reach the Millennium Development Goals of gender parity in enrollment by 2005 and universal enrollment in and completion of primary education by 2015. This study focuses mainly on primary education with little coverage of youth, the labor market, or tertiary education. The study begins by discussing the evolution of the education system and how historical legacies shape current conditions. It examines the barriers to access, efficiency, and quality as well as the policies needed to remove them. It also discusses institutional issues and the medium-term public expenditure framework and assesses the options for improving sectoral management and achieving financial sustainability. Completed data please click:

CRESCIMENTO POPULACIONAL E IMPLICAÇÕES PARA TIMOR-LESTE

Timor-Leste é um país pequeno com potencial – se não a probabilidade – para ter uma população muito maior do que tem actualmente. De presente a sua população coloca-o entre os mayores países ilha do mundo. A densidade populacional, embora baixa para o Sudeste Asiático e apenas metade da densidade populacional da Indonésia, está próxima da mediana da Oceânia. A população é muito jovem, sendo que perto de metade das pessoas têm menos de 15 anos, o que contrasta com apenas um terço no Sudeste Asiático como um todo. A distribuição etária é desigual, reflectindo em parte uma história recente turbulenta mas provavelmente também uma elevada taxa de mortalidade materna, o que provoca um défice de mulheres em idades mais avançadas.
A taxa de mortalidade materna elevada é em parte resultado de um dos níveis de fertilidade mais altos em todo o mundo, com 6,9 a 8,3 filhos por mulher. A fertilidade elevada é por norma associada com uma esperança de vida baixa, em particular para as mulheres, assim como com uma mortalidade infantil elevada. Um bebé nascido menos de 2 anos após o último parto tem quase quatro vezes mais probabilidades de morrer na infância do que um bebé nascido 4 anos ou mais depois.
As projecções demográficas, calculadas para este relatório, indicam que a população timorense deve aumentar um terço até 2015 em relação ao seu valor inicial em 2005, quatro quintos até 2025, e triplicar até 2050. (Estes resultados são semelhantes aos que constam das projecções anteriores da Direcção Nacional de Estatística.) Num cenário alternativo de rápido crescimento, a população pode quadruplicar até 2050. No cenário médio, as taxas anuais de crescimento populacional começam nos 3,3 por cento e descem lentamente para 2,7 por cento entre 2005 e 2025. Isto irá fazer com que Timor-Leste iguale a actual densidade populacional da Indonésia até 2025. A população irá envelhecer, mas apenas de forma ligeira, sendo que ainda haverá 40 por cento da população com menos de 15 anos em 2025.
Alguns sectores sociais serão especialmente afectados pelo rápido crescimento populacional. A população urbana, actualmente cerca de um quarto da população total, está a crescer muito mais rapidamente que a população rural. O crescimento urbano é de 4,7 por cento ao ano, e descerá apenas para 4,4 por cento em 2025, altura em que a população urbana terá duas vezes e meia a sua dimensão actual. Depois de 2025 a população urbana pode aumentar de forma ainda mais acentuada. A população rural crescerá mais lentamente, mas ainda assim aumentará 50 por cento até 2025.
É esperado que a população de crianças em idade de frequentar o ensino secundário aumente 90 por cento até 2025, e que a população de crianças em idade de frequentar o ensino primário aumente 70 por cento. Para matricular todas as crianças em idade de frequentar o ensino primário seria preciso que os alunos entre 7 e 12 anos aumentassem 6,6 por cento por ano entre 2005 e 2015. Mais de metade dos alunos não possui quaisquer manuais, e apenas 5 por cento têm todos os manuais de que precisam. A correcção destas deficiências no ensino será complicada pela necessidade de acomodar números crescentes de alunos.
Em 2005, 80 por cento dos homens e 55 por cento das mulheres com 15 anos ou mais estavam empregados ou à procura de trabalho. Quase quatro em cada cinco destas pessoas empregadas trabalhavam na agricultura, pesca ou florestas. Se a proporção da mão-de-obra empregada continuar a mesma até 2025, o número de pessoas empregadas irá duplicar. Mesmo que o número de empregos disponíveis aumente para o dobro numa década, o número de indivíduos desempregados aumentará ainda mais depressa, na ordem dos 150 por cento.
A alimentação da cada vez maior população de Timor-Leste apresentará problemas. Nos produtos base, o milho pode ficar acima dos requisitos nacionais mínimos caso a sua produtividade aumente substancialmente a partir dos seus baixos níveis actuais. Mas mesmo com aumentos na produtividade, o défice na produção de arroz irá crescer. Até 2025, ao invés de satisfazer 70 a 80 por cento dos requisitos de consumo doméstico, Timor-Leste só conseguirá satisfazer um terço desses requisitos.
A pressão sobre o ambiente será acentuada. As taxas de desflorestação já se encontram entre as maiores do mundo, e se o aumento da população forçar o aumento do cultivo em áreas sensíveis, os solos frágeis, terrenos íngremes e chuvas fortes ocasionais podem fazer com que o cultivo alargado seja contraproducente a longo prazo.
Embora estas projecções populacionais impliquem um rápido crescimento, elas pressupõem na verdade que o crescimento irá abrandar à medida que o país entra numa transição que dura décadas, típica de países em vias de desenvolvimento, de taxas de natalidade elevadas para baixas. Porém Timor-Leste não é um típico país em vias de desenvolvimento. Os níveis de fertilidade são invulgarmente elevados e homogéneos, com diferenciais de fertilidade menores entre grupos socioeconómicos do que acontece na maior parte das sociedades com taxas de fertilidade elevadas. A fertilidade urbana praticamente não desceu e as mulheres com alguma instrução secundária têm quase tantos filhos como as mulheres menos instruídas. O desejo de famílias volumosas é praticamente universal em Timor-Leste. Mesmo entre mulheres com seis ou mais filhos, dois terços não expressam interesse em deixar de dar à luz. Os conhecimentos sobre contraceptivos são extremamente baixos. Apenas uma em cinco mulheres consegue referir espontaneamente um método contraceptivo, e apenas uma em cinco reconhece um método quando ouve o nome. O conhecimento percentual combinado sobre contraceptivos é o mais baixo registado em qualquer estudo nacional em países em vias de desenvolvimento em 20 anos.
Timor-Leste adoptou uma política de saúde reprodutiva que garante o acesso a serviços de planeamento familiar. A implementação desta política e a educação das famílias para as convencer que é do seu interesse reduzirem a fertilidade, por razões de saúde e razões económicas, serão desafios substanciais. Caso estes esforços não sejam bem-sucedidos a população poderá crescer ainda mais rapidamente do que o previsto.
Para que estes esforços tenham sucesso o sector da saúde terá de assumir uma responsabilidade substancial. Este sector enfrenta problemas; acima de tudo, há uma desconexão entre os recursos de saúde existentes e os maus resultados de saúde na população. A resolução desta desconexão, em particular através da melhoria do acesso a serviços e da criação de um programa efectivo de educação sobre saúde, será essencial para sustentar quaisquer iniciativas de planeamento familiar.
A fim de se começar a dar resposta aos desafios do rápido crescimento populacional, o presente relatório recomenda os passos seguintes:
• Incorporação sistemática de considerações populacionais no planeamento a nível nacional,
sectorial e ambiental.
• Reafirmação dos aspectos essenciais da política de saúde reprodutiva, incluindo a provisão de
contraceptivos, e garantia de que as constituências relevantes estão cientes e entendem as
bases da política.
• Exploração de formas para comunicar os benefícios de famílias mais reduzidas – no que toca
à saúde, finanças familiares e necessidades nacionais – a um segmento cada vez mais vasto de
população.
• Fortalecimento do sector da saúde e desenvolvimento de mecanismos efectivos dentro do
mesmo para a prestação e promoção de contraceptivos onde a procura possa crescer.
Para obter mais informações sobre este assunto, vamos acessar no:

sexta-feira, 3 de julho de 2009

VIDEO PRIVADO II

ESTE VIDEO FOI TIRADA NO TEMPO VISITAMOS FATIMA


video


VIDEO PRIVADA II


video


ESTE VIDEO FOI TIRADA NO PORTO COM OS MEUS COLEGAS ESTÃO LÁ

VIDEO PRIVADA 1


video


ESTE VIDEO FOI TIRADO NO MOMENTO VISITA DO SENHOR AGUSTINHO EM BRAGA

OS PORTFOLIOS E OS SEUS POTENCIALIDADES DE UTILIZAÇÃO

"O Portfolio é uma coleção de todo o trabalho em andamento na organização relacionado com o alcance dos objetivos do negócio. Toda organização tem um portfolio, mesmo que não reconheça especificamente. Consiste nos trabalhos que estão em andamento na empresa, estejam estes trabalhos relacionados de alguma forma entre si ou não. Algumas organizações tem portfolios separados por departamentos, divisões ou unidades de negócio."(Wikipedia Livre, 2009). Segundo Coelho e Campos (2003,p.14) “portfólio é uma colecção de documentos organizados e poderíamos mesmo defini-lo como “dossier” dos diferentes trabalhos realizados pelo aluno, termo este que é sobejamente conhecido dos professores, mas que terá aqui outras implicações que não, apenas, uma compilação de documentos apensos.” “O portfolio em ensino pode ser um conjunto de realização que permite ao professor reflectir sobre as suas práticas para melhorar o ensino. O portfolio do aluno é também um conjunto de realização que permite visualizar o conjunto das experiências escolares, sócio - culturais e comunitários que poderá ser um instrumento de promoção para o prosseguimento dos seus estudos ou mesmo para encontrar em emprego” (p.15). “O portfolio na sala de aula é uma instrumento de regulação, ligado às novas práticas pedagógicas, que visa desenvolver competências, o que implica a autonomia do aluno na sua relação com a saber”(p.18).
Kingore (2008) apresenta as razões de utilização do portfolio na avaliação no processo de aprendizagem na sala de aula, tal como:
· Feedback para os estudantes para reforçar o auto-conceito e metas que tinha mudado
pelas crianças ao longo do tempo.
· Oportunidade para os aluno fazem auto-avaliação e auto-reflexão sobre as suas trabalhos;
· Demonstração os esforços das crianças, preferências modos de aprendizagem, transferir os
conhecimentos e compreensão conceptual;
· Instrumento de comunicação entre as crianças, as famílias e os educadores;
· Documentação as informações sobre desenvolvimento dos alunos como instrumento de
avaliação;
· Estabelecimento entre conhecimento prévio e processo aprendizagem actual;
· Suporta para e substancial de aprendizagem acomodações especiais;
· Feedback para os professores para melhorar processos aprendizagens na sala de aula.
Baseia-se estes definição do portfolio em cima, posso concluir-se que portfolio é uma colecção de todos trabalhos que podemos utilizar para implementa alguns dicisões fundamentais no qualquer instituições. Para compreender melhor sobre as potencialidades do portfolio, vamos apreender mais através destes textos em baixo seguido:
1. ePortfolios and eArgumentation
2. Educational potential of e-portfolios : from student learning to teacher professional development
3. Exploring coalition behaviour in the allocation of Portuguese local government portfolios
4. ePortfolio : the state of the art in Portugal (from the 1st Meeting in Braga, July)
5. The use of Web 2.0 tools to develop e-portfolios in a teacher training program : an exploratory survey
6. The use of GooglePage and GoogleDocs to develop e-portfolios in a post graduate Teacher Education Program : an example from Portugal
7. Desenvolvimento de portefólios electrónicos no ensino da matemática
8. Avaliação em matemática escolar implementando portfolios de aprendizagem dos alunos : contributos de um projecto de investigação colaborativa para o desenvolvimento profissional de professores
9. E-portefólios : um estudo de caso no ensino da matemática
10. Como organizar portefólios na sala de aula de matemática?
11. Currency substitution, portfolio diversification and money demand
12. E-portefólio : um estudo de caso(TESE)
13. Portefólios digitais: revisitando os princípios e renovando as práticas

OS BLOGUES E AS SUAS POTENCIALIDADES DE UTILIZAÇÃO

A escola é mais do que um lugar de escolarização no sentido restrito devendo organizar-se e assumir-se como um espaço de educação, de preparação para a cidadania consciente, de combate às desigualdades sociais. Nesse sentido, cada vez são mais, e mais exigentes, as responsabilidades que, formal e informalmente a escola e os professores são chamados a assumir. Dentro deste espírito, a escola tem sido chamada a intervir no combate à info-exclusão, nomeadamente integrando nas suas práticas o recurso às tecnologias de informação e comunicação, fazendo destas instrumentos úteis ao serviço do ensino e da aprendizagem e simultaneamente preparando os seus alunos para actuarem e intervirem num mundo onde as tecnologias de informação e comunicação estão cada vez mais presentes. Neste contexto, e apesar das limitações existentes, é possível identificar nas escolas de diferentes níveis de escolaridade, práticas pedagógicas, mais ou menos institucionais, frequentemente da iniciativa de um número relativamente reduzido de professores, que procuram explorar do ponto de vista do seu potencial educativo, os diferentes serviços e ferramentas disponíveis na Internet. De entre os serviços disponíveis na web que nos últimos anos têm sido “adoptados” pelos professores como recurso e como estratégia pedagógica ao serviço do ensino e a da aprendizagem, incluem-se os blogues. O crescimento da “blogosfera educacional” e de práticas pedagógicas associadas à exploração pedagógica dos blogues torna relevante o desenvolvimento de estudos que nos permitam identificar e caracterizar as práticas existentes e definir linhas de desenvolvimento futuro. Foi no sentido de contribuirmos para esse esforço que desenvolvemos um estudo centrado na identificação e caracterização das práticas de uso dos blogues por parte de professores de ciências e que é o objecto desta comunicação.
Para obter mais informações sobre potencialidades dos blogues, vamos acesso estes sites em baixo.
1. Utilização dos blogues por docentes de ciências : um estudo exploratório
2. A blogosfera : perspectivas e desafios no campo da Ciência da Informação
3. A blogosfera escolar portuguesa : contributos para o conhecimento do estado da arte
4. O blogue : uma ferramenta facilitadora de aprendizagem e de comunicação na aula de francês
5. Blogues escolares: quando, como e porquê?
6. Utilização de blogues na formação inicial de professores : um estudo exploratório
7. Blogue : uma ferramenta com potencialidades pedagógicas em diferentes níveis de ensino
8. O blogue e o podcast para apresentação da aprendizagem com webquests
9. Cooperative learning in higher education using weblogs
10. Weblogs e jornalismo : um exemplo de aproximação na universidade portuguesa
11. Blog e wiki : os futuros professores e as ferramentas da Web 2.0
12. Infusing technology in pre service teacher education programs in Portugal : an experience with weblogs
13. Weblogs and Journalism : an uneasy relation (the Portuguese case)
Todos sites em cima, estão no RepositórUM Universidade do Minho Braga

BLOGUES POLÍTICOS EM PORTUGAL

Num curto espaço de tempo, os weblogs (ou blogues) passaram de uma simples aplicação informática, a um importante dispositivo de comunicação. No ensino, na literatura, na ciência ou na política, o recurso aos blogues cresceu rapidamente devido à simultaneidade de duas características: baixo custo e facilidade de manuseamento. Os blogues estabelecem relações privilegiadas com outros que abordam temáticas semelhantes, criando pequenas redes de interesses. Uma das comunidades mais interessantes é a dos blogues relacionados com actualidades políticas, grande parte das quais produzida por desconhecidos do panorama mediático tradicional.
Neste trabalho pretende-se averiguar se a blogosfera está a criar novos actores sociais e quais os motivos que levam à criação de um blogue político. Para compreender melhor, vamos acesso texto que disponíveis em:
http://www.labcom.ubi.pt/agoranet/06/canavilhas_bloguespoliticosportugal.pdf

O blogue e a sua dimensão organizacional

Este texto enfoque na análise dimensão organizacional do blogue com objectivo empírico. Vamos apreender mais com acesso desta pagina em:
http://bocc.ubi.pt/pag/gaspar-ana-blogue-dimensao-organizacional.pdf

O BLOGUE E O PODCAST PARA APRESENTAÇÃO DA APRENDIZAGEM COM WEBQUEST

A presente comunicação apresenta o conceito de WebQuest, Blogue e Podcast, os seus mentores e características, reflectindo sobre a necessidade de utilizar estas ferramentas em contexto educativo como forma de promover situações de aprendizagem com recurso à Web. De seguida, apresentam-se os objectivos para a utilização desta WebQuest, bem como, a utilização do blogue e do podcast como ferramentas integrantes na realização das tarefas propostas na WebQuest. Descreve-se o estudo efectuado e reflecte-se sobre os resultados obtidos. Vamos apreender mais com acesso texto que disponíveis em:
https://repositorium.sdum.uminho.pt/bitstream/1822/6514/1/018.pdf

quinta-feira, 2 de julho de 2009

SOLUÇÕES INTERATIVAS DE VÍDEO E VIDEO COMFERÊNCIA INTEGRADOS AO MOODLE

Este trabalho tem o objectivo de socializar a experiência da Secretaria da Educação do Estado da Bahia na utilização de soluções de transmissão de áudio e vídeo sobre demanda e ao vivo através de um ambiente virtual de aprendizagem, especificamente através do Moodle. A utilização do Moodle na Secretaria da Educação, foi uma decisão baseada na escolha de uma Ambiente com um melhor custo/benefício do mercado. Diante das necessidades dos cursos a distância o Moodle apresentou algumas carências, principalmente no que se diz respeito à transmissão de conteúdos de vídeos de uma forma eficiente. Diante dessa necessidade foram desenvolvidas duas soluções com o intuito de suprir a carência do Moodle na utilização de médias com transmissão de áudio e vídeo. Informação completo disponíveis em http://www.abed.org.br/congresso2007/tc/55200714234PM.pdf

GUIA DO MOODLE

Vamos elaborar o moodle através deste guia. Deste guia ajuda-nos passo por passo para compreender melhor sobre elaboração o moodle como instrumento de ensino aprendizagem nas escolas quer alunos, quer professores. Informação completo disponíveis em:

REFORÇO AO ENSINO PRESENCIAL ATRAVÉS DE MOODLE

A plataforma Moodle é um ambiente virtual colaborativo de aprendizagem, o qual no campo da comunicação com o uso da Internet implica em determinadas formas de organizar as condições tecnológicas de maneira a permitir a participação de múltiiplas pessoas no processo comunicativo. Portanto, esse tipo de ambiente proporciona a interatividade, aprendizagem, troca de informações e principalmente a construção de conhecimentos. Este trabalho apresenta a implantação do reforço ao ensino presencial nas disciplinas curriculares através do ambiente Moodle junto aos alunos do curso de Engenharia de Produção do ISECENSA, abordando um projeto piloto realizado na disciplina de Matemática Básica. Informação completo disponíveis em:
http://www.abepro.org.br/biblioteca/ENEGEP2007_TR660482_9308.pdf

O ENSINO A DISTÂNCIA COMO FERRAMENTA PARA A APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA

Este trabalho propõe o uso da Internet, via plataforma Moodle, na busca de soluções para a aprendizagem significativa e a aplicação de metodologia andragógica nos cursos de Engenharia. Para obter informação completamente disponíveis em:
http://espacio.uned.es/fez/eserv.phppid=bibliuned:20057&dsID=O_ENSINO_A_DISTANCIA_COMO_FERRAMENTA_PARA_A_APRENDIZAGEM.pdf

INTRODUÇÃO AO MOODLE

Este texto oferec muitas coisas sobre elaboração do moodle. Vamos apreender mais através deste texto. Este texto ajuda-nos passo por passo para construir um moodle na net como instrumento de aprendizagem nas escolas quer os professores, quer os aluno. Informações completas disponíveis em:

http://www.professor.uft.edu.br/moodle/file.php/1/TEXTOS_PARA_LEITURA/Moodle1.6.5_.pdf

MANUAL TUTORIAL PROGRAMA MOODLE COMPLETO

Vamos avançar a elaboração sobre moodle baseada no este modulo. Este modulo pode-ser ajudar-nos para compreender melhor sobre varias coisas que relacionado com desenvolvimento de um moodle. O texto completo está disponível em:
http://www.fearp.usp.br/sti/files/moodle_mack.pdf

e-Learning – um conceito a ser seguido

Inseridos numa sociedade, em que os valores máximos estão centrados na competitividade, celeridade e na globalização, é necessário um ensino com base na multimédia. Este tipo de ensino, pode proporcionar em simultâneo, som, imagens e texto, tudo no mesmo pacote electrónico, complementando várias aptidões cognitivas. Para utilizar esta panóplia de meios em pleno, existe o e-Learning. O presente estudo, descreve o “estado da arte “ deste tipo de ensino à distância, o e-Learning, apontando eficiências inerentes. Texto completo disponíveis em:
http://docentes.fam.ulusiada.pt/~d1207/docs/mestrado/Artigo_b.pdf

MANUAL DE UTILIZADOR DO MOODLE

Este texto oferece também sobre como desenvolver um moodle. Este texto disponíveis em:
http://cnosever.prof2000.pt/file.php?file=%2F1%2FManualUtilizadorMoodle_v1.pdf

MANUAL DE MOODLE 1.9

O moodle é uma plataforma e-learning (também designada por Course Management System(CMS), ou Learning Management System (LMS), ou Virtual Learning Environment (VLE).
As plataformas e-learning permitem que formadores sem competências especiais de programação possam criar e gerir disciplinas onde formandos devidamente autorizados podem entrar, aceder a informação, interagir, partilhar, e colaborar uns com os outros. Para compreender melhor poder acesso texto que disponíveis em:
http://www.ed-rom.com/downloads/Demo%20Manual%20e-Formando%20Moodle.pdf

A PLATAFORMA MOODLE COMO SUPORTE ÀS AULAS

Nesta comunicação apresentamos os primeiros resultados de um trabalho que está a ser desenvolvido no âmbito do curso de mestrado em Educação Multimédia na Faculdade de Ciências da Universidade do Porto.
Com este trabalho que envolveu a utilização da plataforma Moodle como suporte às aulas
presenciais numa turma de 12.º ano de Geologia e a construção de alguns recursos didácticos para a subunidade curricular “Exploração e modificação dos solos”, pretendemos divulgar alguns dos dados recolhidos que, a nosso ver, permitem uma primeira reflexão sobre o contributo do uso das TIC (Tecnologias de Informação e Comunicação) em contexto educativo e sobre as vantagens do ensino a distância (EAD) na formação de futuros cidadãos da Sociedade da Informação e do Conhecimento. Informação completa disponíveis em:

MANUAL MOODLE PARA O ALUNO

Este manual pode utilizar para desenvolver a capacidade no desenvolvimento do moodle. Este manual oferece passo ao passo de elaboração moodle. Informação completos disponíveis em:
http://www.cefetbg.gov.br/ept/pdf/manual_alunos.pdf
Dentre as teorias de avaliação do ensino e aprendizagem, a avaliação formativa vem sendo apontada como essencial para o desempenho de uma educação de qualidade. Este artigo visa analisar como o sistema Moodle apresenta características que dão suporte à avaliação formativa. Informação completo disponíveis em: http://200.169.53.89/download/CD%20congressos/2008/V%20ESUD/trabs/t38920.pdf

UMA PROPOSTA DE CUSTOMIZAÇÃO DO MOODLE PARA CURSO DE MATEMÁTICA

Desenvolvemos uma proposta de interface, projetada para diferentes públicos, tanto para
educação à distância, quanto para educação presencial, levando em consideração os interesses que conduzem a utilizar o Moodle como uma ferramenta de ensino. O projeto de interface é baseado nos estudos de Ergonomia da Interação Homem-Computador, com especial atenção à usabilidade de sistemas, aqui relacionada à capacidade de um sistema ser usado de modo fácil e com eficiência. Assim, propomos uma customização do Moodle visando facilitar o aprendizado e simplificar os processos de interação entre usuários. Tratamos um caso específico do projeto envolvendo o ensino de matemática, para o qual desenvolvemos módulos específicos, que permitem maior suporte tanto à navegabilidade quanto aos processos interativos de aprendizagem específicos. Descrevemos neste trabalho o projeto de um dos módulos. Informação completo disponíveis em
: http://www.limc.ufrj.br/htem4/papers/57.pdf

MOODLE: GUIA GERAL

Vamos apreender mais sobre elaboração do moodle através desta guia. Esta guia pode-se ajudar-nos para compreender melhor como desenvolver um moodle na net. Este guia disponíveis em: http://moodle.isel.pt/docs/G01%20-%20Guia%20Geral%20Para%20Novos%20Utilizadores.pdf

Folha de apoio à participação numa plataforma Moodle

Este texto apresenta sobre folha de apoio à participação numa plataforma no moodle. Para compreender melhor sobre este assunto, pode obter mais informações através de:
http://noniob.fc.ul.pt/plataforma/file.php?file=/1/participar.pdf

Visao Geral do Sistema de Gerenciamento de Aprendizagem

O Ambiente Virtual de Educação Moodle contém uma interface e diversas funcionalidades que facilitam a interacçao entre o usuário e o ambiente. O Moodle foi criado de forma que a sua utilização se integrasse facilmente ao cotidiano de docentes e discentes, possibilitando uma maior qualidade no Ensino à Distância e um melhor gerenciamento dos cursos oferecidos por esta modalidade de ensino. Neste artigo apresentamos uma visão geral deste ambiente, conceituando-o e descrevendo um pouco de seu funcionamento e estrutura em termo das tecnologias Web envolvidas. Disponíveis em: http://www.inf.pucrs.br/~petinf/homePage/publicacoes/documentos/relatorios%20tecnico/Daiane.Fraga_2008-1.pdf

O Moodle e as comunidades virtuais de aprendizagem

Após expansão da internet e face às rápidas transformações tecnológicas e sociais, inclusivamente nos modelos de ensino (construtivismo social e Processo de Bolonha), surge software vocacionado para ensino a distância, em código de fonte aberta. Excelente exemplo é a plataforma de gestão da aprendizagem — Moodle. Faz-se a sua
caracterização. Analisa-se a utilização na FCT/UNL e em ambiente de blended-learning em Geologia de Portugal (Licenciaturas de Engenharia Geológica e de Ensino de Ciências da Natureza).
Disponíveis em: http://www.dct.fct.unl.pt/PLegoinha/CNGMood.pdf

AULA XXXVI: FINALIZADO O CURSO



Esta aula oferece vários aspectos que relacionado com como finalizar o curso baseado do programa moodle.

ACTIVIDADES DE GLOSSÁRIO

VAMOS APREENDER MAIS...


ACTIVIDADE PESQUISA E AVALIAÇÃO



ACTIVIDADE TAREFA ON-LINE



ACTIVIDADE WIKI